WhatsApp

WhatsApp

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Enfermeiros do HEDA entram em paralisação de advertência ao Governo Estadual

Paralisação foi em virtude do não cumprimento de acordo entre o Governador Wellington Dias (PT), e os enfermeiros.

Por volta das 09h da manhã desta quinta-feira (24), os enfermeiros efetivos do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde – HEDA, em Parnaíba, que também é o maior hospital da região norte do Estado do Piauí, cruzaram os braços e deram início à paralisação de advertência.
“Alguns pontos o Governo começou a cumprir ontem, mas o ponto principal dessa greve no Estado é a GIMAS (Gratificação de Incentivo à Melhoria da Assistência à Saúde). O Ministério Público deu até 11 de outubro para que fosse pago, feito um decreto para o pagamento e, até agora, não saiu o decreto. O Governador não sentou com a categoria, o Secretário Estadual de Saúde não deu resposta, tivemos uma promessa pra hoje desse decreto regulamentando a GIMAS, onde tem valores discrepantes, de pessoas que recebem R$ 30,00 e outras até R$ 5.000,00 ou R$ 10.000,00, essa situação não foi corrigida ainda, estamos aguardando. Parnaíba tem sido a cidade mais penalizada, por isso que a greve estadual, a abertura, está sendo dada em Parnaíba. Essa cidade que fundou o sindicato de enfermagem e está sempre à frente do movimento”. Declarou, João Sergio de Sousa Moura, presidente do Sindicato dos Enfermeiros Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí - SENATEPI.

Ainda segundo o presidente João Sérgio, casos de urgências e emergências terão garantidos o atendimento, porém, casos como escoriações leves, febre, vômito, cefaleias, terão retardo no atendimento.

O presidente denuncia ainda, a existência de técnicos em enfermagem, que chegam a dar 15 plantões por mês no hospital e recebem menos de 1 salário mínimo. A paralisação tem previsão de durar até o dia 31 de dezembro.

Nenhum comentário: