WhatsApp

WhatsApp

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Maternidade dá diagnóstico de bebê e nega morte por microcefalia no PI

A maternidade Santa Fé negou o diagnóstico de microcefalia em um recém-nascido que faleceu neste domingo (22/11) na unidade de saúde. Segundo nota da maternidade, o bebê apresentava ventriculomegalia bilateral e mega cisterna magna.
Segundo a maternidade, as anomalias foram “diagnosticadas através de ultrassonografia morfológica, realizada na 23ª semana de gestação e repetida na 28ª semana, confirmando a má formação cerebral da criança, descartando a possibilidade de uma morte por microcefalia”.
A secretaria de Saúde já havia negado o diagnóstico, apesar de confirmar que estava investigando a causa da morte da criança. A Sesapi afirmou como sendo “precipitado” tal diagnóstico.
O ministério da Saúde, semana passada, confirmou a ocorrência de dez casos da doença no Piauí, em 2015. Para a Secretaria de Saúde este número chega a 27. O surto da doença atinge ainda os estados de Pernambuco – onde foram registradas 268 notificações da doença – Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraíba, Ceará e Bahia.
A principal suspeita é de que o surto da doação tenha sido provocado pelo Zika, transmitido pelo aedes aegpty. A doença foi notificada em 14 estados e estaria relacionada aos casos de má-formação de bebês. A microcefalia é uma condição rara, onde o bebê nasce com o crânio menor do que o normal.
O governo federal vai reativar uma força tarefa integrada por 17 ministérios para tentar conter o avanço da doença. Os trabalhos do grupo, que é o mesmo que atuou durante a pandemia da Gripe A, devem começar nesta semana. Além do Ministério da Saúde, a Defesa e as Forças Armadas estão entre as pastas que farão parte da ação conjunta.
No Piauí, e em outros estados do Nordeste, médicos já fizeram o alerta para que mulheres adiem projetos de gravidez, para evitar o avanço da doença.
Publicado Por: Apoliana Oliveira

Nenhum comentário: